BRASIL: "ÚNICO PAÍS NO MUNDO ONDE O POVO QUE É ROUBADO
É O MESMO QUE DÁ PODER AO LADRÃO"
Ações Jurídicas
Artigos
Base Territorial
Convenções e Acordos Coletivos
Convênios
Denúncia contra Bancos
Diretoria
Esportes
Eventos
Fale conosco
Índices de Reajustes Salariais
Links
Localização / sede
Matérias
Notícias
Noticias jurídicas
Notícias RSS
Saúde
Segurança Bancária
Sindicalize-se
Untitled Document
NOTÍCIAS
Gerais
Jurídicas
RSS
Saúde
Segurança Bancária
 Notícias Gerais

Confira as últimas notícias Gerais :

28/06/2022 - ECONOMIA DO MUNDO ESTÁ PARANDO, E BRASIL CORRE SÉRIO RISCO DE PIORAR TAMBÉM

(Por João José Oliveira)


 
O mundo está sob ameaça de uma recessão -redução da atividade econômica, com desemprego, menos produção e consumo. A possibilidade de essa crise acontecer nas maiores economias do planeta aumentou nas últimas semanas, dizem economistas. Segundo eles, isso ocorre porque EUA e Europa estão subindo os juros contra a inflação e por causa do risco de a guerra na Ucrânia afetar o fornecimento de energia a países do continente europeu. E essa situação toda vai respingar no Brasil.

A retração econômica nas maiores economias do mundo deve ocorrer entre o fim deste ano e o primeiro semestre de 2023, apontam economistas, atingindo as exportações brasileiras.

Por enquanto, o risco é de uma recessão maior na Europa que nos Estados Unidos, de duração curta —de dois a três trimestres. Se for isso, a economia do Brasil sofrerá uma desaceleração, mas sem recessão, diz o economista Rogério Studart, sênior fellow do Núcleo de Economia Política do Cebri (Centro Brasileiro de Relações Internacionais), ex-diretor executivo do Banco Mundial e do Banco Interamericano de Desenvolvimento.

Mas se a recessão nos Estados Unidos e, principalmente na Europa, for mais grave, cresce o risco de a China também ser atingida. Nesse caso, o Brasil pode entrar em recessão.
 
“Temos uma recessão encomendada para o ano que vem. A guerra na Ucrânia agravou os gargalos na economia mundial, atingindo agora insumos básicos, como energia, e provocando inflação ainda mais forte. Na falta de ações coordenadas de políticas econômicas, um problema que vem desde a pandemia, foi colocado sobre os ombros dos bancos centrais a missão de reduzir inflação, elevando juros.” Rogério Studart.

Recessão técnica e recessão de fato
Recessão técnica ocorre quando o PIB de um país apresenta variação negativa por dois trimestres seguidos. A recessão de fato ocorre quando há uma piora dos principais indicadores econômicos de um país, como desemprego, renda da população, receitas das empresa, investimentos.

Três motivos principais para recessão
1) Juros: Taxas altas esfriam a economia porque desestimulam o consumo, encarecem o crédito e dificultam projetos de crescimento para as empresas. Pela primeira vez desde 2018, o Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos) começou a elevar os juros e, na semana passada, acelerou essa alta. A medida serve para retomar o controle da inflação recorde de 8,6%.

Simulações do Fed apontam para um risco de 50% de a alta dos juros levar o país à recessão. A projeção é compartilhada por bancos americanos, como o Bank of America, Goldman Sachs e Dreyfus and Mellon.

O Bank of England (BOE, banco central da Inglaterra) também já subiu os juros os juros no Reino Unido para o maior patamar desde 2009. E o Banco Central Europeu (BCE) ainda não começou a elevar as taxas, mas avisou que o processo começa em julho, podendo inclusive ser acelerado em setembro.

2) Crise de energia na Europa: A guerra na Ucrânia ameaça o suprimento de energia para a Europa. A Rússia é o principal exportador e segundo maior produtor de gás natural do mundo, sendo responsável por fatias relevantes dessa fonte de energia para grandes economias, como a de Alemanha (49%), Itália (46%) e França (24%).

3) Covid na China: Tem havido aumento no número de casos de covid-19 na China, que tem adotado medidas de restrição em cidades importantes, gerando desaceleração da economia.

Impacto no Brasil:
O impacto da recessão nas economias americana e europeia sobre países emergentes, como o Brasil, deve ser leve, caso se confirme essa expectativa de desaceleração rápida nos Estados Unidos, afirmam economistas ouvidos pelo UOL.

É provável que a recessão aqui, se ocorrer, seja menor que nos países desenvolvidos, até porque já tivemos uma forte desaceleração no ano passado. Como já atravessamos um período de grande desaceleração, sentiremos menos os efeitos desse cenário internacional

Perigo maior para Brasil vem da China 
O Brasil pode sofrer um tombo maior com uma recessão global se a crise econômica atingir com mais força a China, maior importadora dos produtos brasileiros.

Uma desaceleração mais forte lá vai afetar de forma imediata nosso setor primário, mas depois o restante da população vai sofrer também porque vai circular menos dinheiro na economia com menos exportações.
Paulo Dutra, coordenador do curso de Economia na FAAP

Se a recessão nos Estados Unidos e na Europa afetarem a demanda pelas exportações chinesas no momento em que o país ainda convive com medidas de lockdown, o gigante asiático também passa a comprar menos de seus fornecedores. Uma possibilidade que já tem provocado variações de preços em matérias-primas, como minérios e grãos.
 
Nos últimos anos, o crescimento da China ajudou emergentes exportadores de commodities a atravessar períodos de recessão. Mas hoje a força da economia chinesa é menor, com taxas de crescimento menores. Consequentemente, uma desaceleração mais forte nos países mais ricos tende a afetar mais os países emergentes, como o Brasil. 
Adauto Lima (Fonte: UOL)

Notícias Feeb/Pr




Fonte: UOL / FEEB PR

 Outras Notícias

16/08/2022 - STF: PAGAMENTO DE FÉRIAS ATRASADAS NÃO MAIS SERÁ EM DOBRO

16/08/2022 - BRASIL TEM 4,3 MILHÕES DE PESSOAS QUE DESISTIRAM DE PROCURAR EMPREGO

16/08/2022 - CAMPANHA ELEITORAL COMEÇA HOJE NAS RUAS DO PAÍS

15/08/2022 - PRESIDENTE DO BB DIZ QUE RESULTADO DO BANCO NO SEGUNDO TRIMESTRE FOI 'FANTÁSTICO'

15/08/2022 - APÓS SUCESSO DO PIX, BANCO CENTRAL PREPARA NOVIDADE QUE DEVE EXTINGUIR O CARTÃO DE CRÉDITO NO BRASIL

15/08/2022 - CONHEÇA O SIM SWAPPING, O NOVO GOLPE EM CONTAS BANCÁRIAS

15/08/2022 - BNDES PAGA R$ 108 MIL EM MÉDIA A FUNCIONÁRIOS POR PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS

15/08/2022 - PRECARIZAÇÃO AGRAVOU OS RISCOS PSICOSSOCIAIS DO TRABALHO

15/08/2022 - TRÊS A CADA DEZ BRASILEIROS BUSCAM EMPREGO HÁ PELO MENOS DOIS ANOS

15/08/2022 - BRASIL TEM 2,985 MILHÕES DE DESEMPREGADOS HÁ DOIS ANOS OU MAIS, DIZ IBGE

  Sindicalize-se
+ Detalhes  
  Eventos
FESTA DOS BANCÁRIOS...
+ Detalhes
Itajaí - SC | Rua José Ferreira da Silva, 48 - Cx. Postal 118 - Centro | Telefone: (47) 3348-6374 |||  By Vale da Web
Copyright © 2022 SEEBI. Todos os Direitos Reservados.